Meu período sabático não planejado. O que aprendi e como estou tirando proveito dele.

escrito porCarina Takahama 21 de abril de 2017
Faz quase dois meses que vim morar na África do Sul.  Essa decisão radical foi tomada junto com o meu agora marido quando ele recebeu uma proposta de emprego para trabalhar aqui.
Mas o fato de nós dois sermos mochileiros fez com que nosso coração vibrar se com toda essa mudança.
No Brasil eu tinha emprego, tínhamos a onde morar (era uma kitnet mas demos um jeito), um carro, uma rotina estabelecida e um estilo de vida que gostávamos de levar: calmo, podíamos viajar com certa frequência, eu podia ir para São Paulo quando queria (só pegar a Bandeirantes).
Eu já tinha tirado um período sabático após terminar o meu mestrado em 2015. Aproveitei para colocar as ideias em ordem, realizar o sonho de lançar o Mundo Viajável, pensar melhor sobre a vida e o que eu queria para o meu futuro.
Foi um período muito bom e produtivo mas eu já estava sentindo falta de interagir com mais pessoas e ter novos desafios por isso decidi voltar para o campo de trabalho que serviu de estímulo e até de alavanca para continuar com o MV.
Para dar certo, o período sabático tem que ser levado a sério. Eu já tinha isso muito claro em mente e mesmo assim não consigo ficar parada então férias não se encaixam ao meu estilo de vida. Rss
Aprendi muito, muito mesmo e quero compartilhar neste artigo algumas dicas que julgo serem as mais importantes para começar um período sabático com o pé direito.

QUAIS OS OBJETIVOS

O planejamento foi fundamental para essa pausa do contrário eu perderia muito tempo tentando entender meus objetivos e como organizá-los.
Me fiz muitas vezes as perguntas:
  • o que quero?
  • aonde quero chegar?
  • o que preciso fazer para chegar lá?
  • por onde começo?
  • quais são as etapas?
Mesmo assim demorei bastante tempo para colocar em ordem cronológica tudo o que eu me propus a fazer quando chegasse aqui.
No começo foi tudo novidade e demorou para cair a ficha que estava com essa nova vida.
Mas uma vez que a ficha caiu, respondi todas as perguntas e comecei a colocar em prática. Até o momento está dando certo e espero continuar nesse ritmo.

ESTABELECER ROTINA

A primeira coisa para quem tira sabático é que é preciso ter em mente de que sabático não é férias é um período que tem um objetivo ou vários, seja:
  • tornar o seu projeto possível
  • estudar, aprender algo novo
  • pensar na vida
  • se reencontrar
Primeiro eu tive que estabelecer uma rotina para não ficar perdida e me sentir sozinha pois meu marido estava trabalhando o dia inteiro.  Então me encarreguei de fazer as compras, manter a casa limpa e cozinhar incluindo, claro, os meus objetivos pessoais.
Se você não tem ideia do que quer fazer pode começar a colocar em prática algo que você queria muito e não tinha tempo para fazer por exemplo estudar inglês, organizar a casa, consertar algo, tirar um tempo para você ou aprender coisas novas.
Esse período também pode ser um pouco parado e algumas vezes chato pois há a obrigação de sair de casa ou ter compromissos. Então se você não planeja sair muito de casa tem que se forçar a sair um pouco seja para ir à padaria, caminhar pelo parque ou dar uma volta na quadra.
# Essa eu aprendi na marra quando fiquei dias seguidos sem sair de casa e isso acabou me fazendo muito mal. Por isso tento sair com certa frequência de casa, mesmo que a desculpa seja ir comprar pão.

OS DESAFIOS

Essa viagem está sendo a mais diferente e desafiadora até o momento pois a mentalidade e os objetivos são bem diferentes de quem está somente viajando.
Eu não sou mais uma turista, sou uma expatriada e minhas preocupações no começo foram: abrir conta em banco, ter internet, encontrar um lar, entender como funciona o transporte público, etc.
Mais do que mudar de estado, mudar de país exige aprender com funciona tudo, o que pode, o que não pode, como faz, como chega.
Por exemplo, aprendi que:
  • a energia elétrica aqui em casa é pré-paga. Os imóveis modernos que geralmente apresentam este padrão
  • internet aqui é limitada. E mesmo se você adquirir a ilimitada, ela será limitada
  • o ônibus MyCiti é cobrado pela distância que você percorre
  • para comprar TV aqui tem que ter licença e pagar mensalidade (mesmo para canais abertos)
  • alguns serviços aqui são bem demorados (ao contrário de compras on-line). Estamos esperando há 10 dias instalarem a linha telefônica para habilitar a internet aqui de casa
São adaptações que temos que fazer e flexibilidade que temos que adquirir para fazer a mudança ser mais tranquila.

A SOLIDÃO E NOVOS VÍNCULOS

Quando você vai para um país novo até uma outra cidade ou um outro estado, é normal se sentir sozinho pois você não conhece ninguém, não tem nenhum vínculo com o local e uma das coisas mais importantes a se fazer é tentar encontrar alguém com quem possa conversar e compartilhar momentos.
Mais importante que isso é se sentir bem em estar sozinho ou acompanhado.
Existem redes de viajantes como CouchSurfing (sou fã dessa), Internations, Expat.com, eventos como MeetUp (mundo todo), Heyevent e fóruns como Mochileiros.com ou Expatica.com

UMA NOVA LÍNGUA

Aqui na África do Sul a língua mais falada é a inglesa, seguidos de Afrikaans e Xhoza. Os três são línguas oficiais, mas há outras oito ainda.
Por isso o meu ponto de partida é aperfeiçoar o meu fraco inglês que aprendi nas escolas e conversar com pessoas que falam inglês fluentemente tem ajudado a avançar bastante na fala.
Há muitas escolas que ensinam inglês (voltada para intercambistas), mas os preços são estratosféricos (na minha humilde opinião). As aulas geralmente são todos os dias e com certeza os avanços também são significativos.
Inglês é muito disseminado, mas se o seu país de destino não fala um língua muito conhecida, o próprio governo oferece aulas para aprender a língua local.
Quando eu estava no Japão, recebi um folhetim sobre elas. Sei também que Dinamarca, Espanha, Alemanha e Holanda oferecem aulas gratuitas para aprender o básico.
Estou aproveitando ao máximo meu sabático e volto aqui para compartilhar mais histórias da África do Sul com vocês!
Com carinho,

Carina Takahama.

 

Siga o MV nas redes sociais!

instagram

 

Gostou? Compartilha! 

54 comentários
1

54 comentários

Adriana Magalhães 21 de abril de 2017 at 15:36

Legal. Bom demais vocês terem abraçado essa oportunidade única

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:22

Sim, Adriana.
Obrigada!

Responder
Ana 21 de abril de 2017 at 16:59

Legal Carina. Obrigada por compartilhar e boa sorte no seu período sabático!

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:21

Obrigada, Ana!

Responder
Helana Ohara 21 de abril de 2017 at 19:10

Oi
Gostei muito das dicas e também sua experiência será incrível.
Tenho um amigo que também está morando na África do Sul, acho que uma experiência dessas não tem como não aceitar.
Quero ler mais sobre suas dicas viu. Tenho vontade de viajar por ai com pouca grana, mas não tem noção de como começar hehehehe

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:18

OI, Helena!
Aqui é mega especial, venha para cá quando puder sim. Não irá se arrepender!
Se precisar de dicas, posso te ajudar (sem compromisso).
Já peguei várias dicas de vários amigos e quero retribuir a ajuda que recebi!

Responder
Nerd Book's 21 de abril de 2017 at 19:50

Acho bastante proveitoso a sua disponibilidade em nos dar dicas sobre como viver em um país ao qual não é nosso de origem. Espero que se divirta e se encontre, nesse lugar que me parece, de acordo com as suas descrições, desafiador. Sucesso!!

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:16

Obrigada!!
Vou me divertir com certeza! =)

Responder
Daiana Fant 21 de abril de 2017 at 20:38

Primeiro de tudo: que oportunidade incrível de morar na África do Sul e que diferente! Para mim, que nunca saí do país nem para viagem, isso é algo gigantesco! Achei super valiosas as dicas para poder estabelecer e se entender melhor com o período sabático, principalmente deixar claro que não são férias. É algo muito difícil para mim lidar com determinadas coisas e acredito que estas dicas vão sim poder me ajudar a me reencontrar ao final do estabelecimento da rotina e tudo mais. Acho que lidar com uma nova cultura e costumes tendo de morar aí e não somente visitar é bem estranho, né? Ainda mais quando tem todos esses pequenos detalhes de internet, tv e transporte público. E, claro, como mencionado mais ao final, a língua falada. Te desejo sorte com a língua, com os costumes e também (principalmente) com este período sabático! Que a ti seja muito proveitoso e, por favor, conte sim várias histórias sobre a África. É bem interessante e fora do comum! Obrigada pela postagem e dicas, vou levar comigo

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:16

Oi, Daiana.
Obrigada pelo comentário.
Está sendo maravilhoso morar aqui apesar das diferenças e dessa fase de adaptação.
Eu amo novas culturas e conhecer lugares diferentes, e aqui está sendo um deles.
Não perca a oportunidade de conhecer a África do Sul um dia, você irá se surpreender!

Responder
Evandro Atraentemente 21 de abril de 2017 at 20:58

Uma experiência como essa só acrescentará boas vivências em sua trajetória. Mesmo não tendo sido planejado, e mesmo com as dificuldades que vc está e ainda encontrará, tenho certeza que terá muitas histórias para contar. Quanta curiosidade vc descreve nos desafios da África do Sul, e pagar mensalidade mesmo para os canais abertos me deixou de queixo caído. Agora imagino, se para você que está acostumada ao mochilão tenha algumas dificuldades, fico pensado para um ser humano que não esteja aberto a novas aventuras, deve ser um tormento ter que se mudar assim de repente.

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:13

Oi, Evandro.
A mensalidade para canais abertos é baixa, mas para nós que estamos acostumados a não pagar é estranho mesmo.
Os desafios aqui são constantes, mas eu gosto.
Concordo contigo: Quanto mais aberta a pessoa estiver à mudanças, mais suave será a transição e adaptação.

Responder
Suzane Cruz 21 de abril de 2017 at 23:07

Que legaaaal, deve ser muito difícil ir morar em outro país, num lugar totalmente diferente do nosso, mas amei mesmo tudo. Parabens e espero que esteja sendo muito feliz por ai, amei o post!

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:11

Oi, Suzane!
Que bom que gostou!
Adoro mudanças e desafios, então isso me deixa animada!
=)

Responder
Laura Sette 21 de abril de 2017 at 23:14

Ai, Cá… a gente super se entende nessa mudança, né? Me identifiquei com várias coisas que vc citou! Engraçado, eu não tinha visto esse momento que estamos passando como um período sabático. Gostei dessa perspectiva! Acho que isso pode ajudar a empurrar algumas coisas que andam se arrastando.. hahaha
Muito bom 🙂
Beijos!

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:10

Oieee, Lau!
Sim, guria! Estamos no mesmo barco, né mesmo?!
Aproveite para fazer tudo o que queria e não tinha tempo!
Conselho da minha mãe: imagine-se de férias e faça tudo, tudo o que tinha vontade! Agora o tempo não é mais sua desculpa!
Beijão!
=)

Responder
Lucimar da Silva Moreira 22 de abril de 2017 at 00:04

Acho que quando uma pessoa vai morar em outro país ela estranhar muito como as pessoas vivem, os hábitos, cultura, a comida. Muito legal você compartilhar as histórias daí da África do Sul, com certeza a gente aprende um pouco, bjs.

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:09

Oi, Lucimar.
Sim, é tudo muito diferente!
Modo de vida, hábitos, comida, todos os processos, etc.
Mas estou adorando essa mudança!

Responder
Francisco Piazenski 22 de abril de 2017 at 04:05

Que legal, sonho com meu ano sabático, o problema é que o sistema já me engoliu, então essa possibilidade é algo muito remoto para mim. Aproveite esse momento! Parabéns pelo relato!

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:21

OI, Francisco.
Sempre precisei de um tempo entre uma etapa da minha vida e outra.
Incrível como isso vem até mim mesmo que eu não planeje.
Obrigada pelo apoio!

Responder
Ana Paula 22 de abril de 2017 at 05:38

Acima de tudo um projeto de dedicação e foco.
Parabéns, e que sua estada na África do Sul seja cheia de coisas boas e aprendizados!

Responder
Carina Takahama 22 de abril de 2017 at 09:20

Oi, Ana!!
Obrigadaaa!! =)

Responder
Carolina Belo 22 de abril de 2017 at 12:25

Que interessante tudo o que abordou neste post. Primeiro, confesso que quando li/ouvia “fulano tirou um ano sabático” sempre pensava: pow, maneiro, vai poder descansar e fazer tudo o que quiser. Nunca tinha pensado pelo lado que você citou aqui… Segundo, quantas coisas diferentes nesse país. Realmente, tem que ter uma força de vontade e psicológica para enfrentar tudo. Masssssss, se o início está sendo cheio de desafios e diferente, logo logo você estará super adaptada a essa nova realidade e vai trazer muitas informações legais para a gente aqui no Mundo Viajável. Sucesso!!!! Super beijo.
Carolina

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:20

Oi, Carol!
Essa questão do que fazer durante um sabático é meio confusa mesmo! rss
Estou fazendo tudo o que tenho vontade, mas não fico fazendo nada o dia inteiro.
Claro que se a pessoa precisa fazer nada, será bom esse tempinho também. =)

Espero me adaptar logo logo! Beijos!

Responder
Paola Ramos 22 de abril de 2017 at 13:54

Ameeeeei seu post! Estou passando atualmente um momento super parecido com o seu, e é exatamente como vc descreveu mesmo. Viajar pra outro país é uma coisa. MUDAR pra ele é outra totalmente diferente. Ter que re-descobrir várias coisas que era tão “básicas e comuns” no nosso dia a dia as vezes é desesperador haha
Mudamos pra Barcelona há uma semana, e tb to tendo que me virar com meu inglês não fluente (e muito tímido), além do espanhol que a gente sempre acha que sabe né, por ser bastante semelhante ao nosso português, mas quando ouço uma conversa de dois nativos fico totalmente perdida na rapidez em que eles falam e eu não entendo nada haha
Mas enfim, faz parte da mudança né.. a gente vai aprendendo, e com o blog temos oportunidade de “ensinar” várias coisas pras pessoas que ainda passarão pelo mesmo que a gente em algum momento. Vou acompanhar seu blog pra não me sentir tão sozinha tb nesse “mundo novo” que estamos vivendo!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:18

Oi, Paola!
Que legal!!!
Barcelona deve ser linda!
Nunca fui para a Europa e morro de vontade de conhecer.
Sim, o que era básico e simples no Brasil, aqui é totalmente o contrário.
Imagino mesmo que o espanhol não seja tão fácil. Até hoje acredito que falo um pouco de espanhol, sqn.
Obrigada pela força! =)

Responder
jac 22 de abril de 2017 at 14:47

Eu sou uma pessoa bem caseira e meu marido também, fico imaginando se ele fosse mochileiro, não ia dar certo… não me vejo viajando e morando em outros lugares, admiro quem tem esse espírito aventureiro. Também estou em período sabático em algumas áreas da minha vida, pensando em como colocar determinadas coisas nos lugares. Eu acho que o mais difícil de morar em outro país, com outra cultura, língua e costumes é a questão da adaptação… fiquei surpresa em saber que a energia é pré-paga, que a internet mesmo ilimitada é limitada! Sucesso para você!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:16

Oi, Jac.
É ótimo que combinem nesse aspecto. Para mim era um dos pré-requisitos para um pretendente. rss
A adaptação sempre é delicada e lenta, mas eu gosto.
Aqui acho que vou demorar ainda mais do que quando mudei de estado. Mas tudo vai dar certo!
Beijão!

Responder
Milena 22 de abril de 2017 at 15:06

Eu não consigo sequer imaginar como seria viver fora do meu país, principalmente em um tão diferente como Africa do Sul. O mais longe que eu fui foi pra São Paulo (sou do Rio Grande do Sul) pra gravação do DVD da minha banda preferida (Fresno ♡). Deu um dia de ônibus e eu já me senti A turista hahahaha
Quero muito ver mais posts sobre esse período sabático, tu tá vivendo uma aventura e tanto, hein?

Beijos ♡
misinwonderland.blogspot.com

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:14

UAu, de ônibus do Rio GRande do Sul até SP?
Você viajou e muito!

Obrigada pela torcida, Milena! =)

Responder
Joana D'arc 22 de abril de 2017 at 16:13

oi!
Que legal 😀
Eu adoraria ir conhecer a África do Sul.é linda.
bjo

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:13

É linda, Joana!
Não irá se arrepender! =)

Responder
Fabii Santo 22 de abril de 2017 at 17:06

Olá, deve ser muito legal por uma parte morar fora, principalmente na África do Sul, espero ver muitos posts aqui sobre suas aventuras pra nos inspirar e que você consiga se organizar (se acostumar) com essa nova rotina, cultura. Bjs!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:12

Oi, Fabii!
Obrigadaaaa!!!
Aqui é muito legal, mas tem tanta coisa que sinto falta no Brasil.
Os sul-africanos tem algumas coisas a aprender conosco ainda..rss

Responder
Roberta Landeweerd 22 de abril de 2017 at 19:09

Oi, Carina! Entendo completamente essa mudança de rotina, porque também passei por isso. Aos poucos a vida vai se encaixando. Quanto ao ensino básico do idioma gratuito aqui na Holanda, infelizmente deixou de ser assim há alguns anos. Ou seja, pelas leis daqui eu continuava obrigada a aprender o básico pra passar no exame de integração e ter meu visto permanente, mas no máximo eu poderia pegar um empréstimo pra fazer o curso (que é carérrimo). :/ Agora só é gratuito para quem vem ao país na condição de refugiado.

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:11

Oi, Roberta!
Sim…aos poucos vai se encaixando. Espero! rs
Obrigada por me manter atualizada, não sabia que precisava pagar mesmo assim. Uma pena!

Responder
conceição 22 de abril de 2017 at 19:41

Boa tarde, como vai? Gostei bastante do seu compartilhamento com a sua experiência e digo mais , nao sei se é só com você mas pra mim a maioria dos passeios que nao sao planejado se tonaram os melhores da minha vida.
Entao acredito que com muitas pessoas também sao assim. beijos

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:09

Oi, Conceição!
Os meus passeio não planejados também foram os melhores da minha vida!
=)

Responder
Anne Schuler 22 de abril de 2017 at 20:07

Achei muito legal seu texto e me identifiquei muito. Tive um período sabático nos anos de 2014, 2015 e um pouco de 2016 onde meu objetivo de vida era me encontrar.
To encantada com o blog e com as histórias que voce deve ter pra contar.
A África do Sul deve ser demais para morar, mas com muitos desafios. Eu só visitei mesmo, mas consegui me apaixonar pelo lugar.
Beijos e parabéns!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:08

Oi, Anne!
Que legal!
Mais de 2 anos de sabático! Uau!!
É muito bom tirar um tempo para se encontrar.
África do Sul é demais!

Responder
marta 22 de abril de 2017 at 20:16

parabens pelo projeto, agora só ter foco! O primeiro passa foi dado. Boa sorte em sua nova morada e conte como é aqui no seru blog!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:06

Oi, Marta!
obrigada!
Volto e conto, sim. Pode deixar! =)

Responder
Edson Amorina Jr 22 de abril de 2017 at 20:38

Estou numa situação parecida. Minha esposa veio transferida para a Alemanha e eu vim “de marido”, de diferente, nós nos mudamos com nossa filha pequena, o que atrapalha um pouco minha rotina. Eu ainda consegui manter um emprego remoto do Brasil por 2 anos, mas já estou um tempo só com o papel doméstico (tirando o Ligado em Viagem é claro).
Mas apesar de parecer uma situação ruim, tem o lado positivo de conseguir ficar mais com a pequena. E isso é insubstituível. ?
Boa sorte na sua caminhada!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:06

Que legal, Edson!
Aproveita a oportunidade!
Aqui na Cidade do Cabo tem muitas famílias com crianças, não se sinta sozinho.
Aproveite sua filhota também e sucesso!

Responder
Suka 23 de abril de 2017 at 00:51

Fantástica oportunidade. Aproveite ao máximo e trás mais informações acho isso muito bacana.

Bjs
Suka
http://www.suka-p.blogspot.com.br

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:04

Obrigada, Suka!

Responder
VANESSA 23 de abril de 2017 at 15:36

Olá! Estou encantada com a sua coragem e sua história, um sonho morar em outro país, conhecer outras culturas. Outras pessoas e saber o que fazer da vida.
Gostei demais do seu post e quero acompanhar a sua vida na Africa, faça mais posts assim.
Beijos.

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:03

Oi, Vanessa!
Obrigada pelo apoio!

Ainda não sei o que fazer da vida, mas na hora certa aparece! =)

Responder
Gisele Rocetti 23 de abril de 2017 at 18:50

Mais um post super interessante!
Foco e determinação SEMPRE!

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:03

Sim! =)

Responder
San Furttado 23 de abril de 2017 at 23:36

Nossa dever ser difícil toma uma decisão dessa tão radical e larga tudo aqui

beijinho espero que vc se adapte logo

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:02

Foi nada, garota! =)
Amo mudanças! rsss
Obrigada pela torcida!

Responder
Lw 24 de abril de 2017 at 00:28

Muito bom o seu post foi o que eu senti quando eu vim para o Japão. No início todas as pessoas nova cultura diferente e eu tive que aprender a viver uma nova história, e o pior de toda a língua, eu tive que aprender a sua língua para poder trabalhar para viver em uma sociedade. Eu amei sua história felicidade, beijo.

Responder
Carina Takahama 24 de abril de 2017 at 11:01

Oii!
Que bom que gostou! E o pior que não sei falar japonês até hoje, acredita?
Quem sabe um dia…..rss

Responder

Deixe um comentário